Você está aqui
Home > Saúde > Secretaria de Saúde intensifica ações de combate ao mosquito Aedes aegypti

Secretaria de Saúde intensifica ações de combate ao mosquito Aedes aegypti

População também pode auxiliar na prevenção com medidas simples

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS), de Batayporã, realiza continuamente o trabalho de combate ao mosquito Aedes aegypti, vetor de doenças como a dengue, chikungunya e zika vírus.

Com a identificação de casos de dengue tipo 2 em Mato Grosso do Sul as ações foram intensificadas, colocando o município em alerta, já que esse tipo de vírus aumenta a gravidade da doença e o risco de morte. O objetivo é fortalecer o trabalho de prevenção e evitar uma possível epidemia.

A força tarefa mobiliza Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Endemias, que têm realizado todo o trabalho de varredura de focos do mosquito, com a eliminação de recipientes com acúmulo de água, e orientações à população. 

Entre as medidas adotadas pela SMS está a notificação de imóveis fechados e terrenos baldios. A titular da pasta, Marcela Leite, explica que a notificação será afixada no local e o proprietário terá 15 dias para efetuar a limpeza, caso seja ignorada, será lavrado auto de infração para emissão de multa.

Nas imediações de locais onde é detectado algum caso de dengue, a Secretaria está realizando bloqueios com a bomba costal para pulverização, quebrando o ciclo de desenvolvimento do Aedes aegypti.

Conforme cronograma, o mutirão iniciou na área de abrangência da Estratégia Saúde da Família (ESF) “Anorinda Marcelina” e seguirá por todos os bairros do município. “O nosso objetivo é manter controle do índice de infestação predial e informar ainda mais a população sobre o correto acondicionamento de água em casa, o descarte final do lixo e os cuidados necessários quanto à prevenção das doenças causadas pelo mosquito”, frisou a Gestora.

Dos 1.708 imóveis visitados neste mês de março, em 97 foram detectados a presença de larvas do mosquito Aedes aegypti. De acordo com o último boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde, 11 casos de dengue foram notificados de 1º de janeiro até agora.

A Secretária ressaltou que somente em março sete casos de dengue foram registrados em Batayporã, e que é preciso a colaboração da população para que constantemente observe sua residência, evitando o surgimento de criadouros.

Cb image default
Foto: PMB/SMS

A maior parte dos depósitos predominantes da larva do mosquito está concentrado nas residências, principalmente em caixas d’água, calhas, vasos, pneus, garrafas, lonas que cobrem recipientes e bebedouros de animais. 

“Para auxiliar na prevenção, a população pode adotar medidas simples como, por exemplo, se habituarem de toda semana checarem esses locais. Qualquer mínimo vestígio de água pode se tornar um criadouro do mosquito”, observou Marcela.

A população também deve ficar atenta aos sintomas como dores de cabeça, febre e dores no corpo. Ao sentirem os sintomas é importante procurar atendimento médico.

Cb image default
Foto: Arquivo PMB

Dengue tipo 2 – Existem quatro subtipos de vírus da dengue: 1, 2, 3 e 4. Na prática, isso significa uma doença “quatro em um”. Isso porque quando um indivíduo se infecta com um dos tipos, no caso de uma boa resolução, ele se torna imune apenas a ele.

Ou seja, numa segunda vez que o indivíduo seja picado pelo Aedes e contraia dengue (de um outro tipo) ele tem chance de ter a doença novamente, e a infecção pode ser mais grave, na forma de dengue hemorrágica, mais letal.

“O sorotipo 2 é o mais agressivo e há risco das pessoas contraírem em um curto espaço de tempo os dois tipos de dengue. O maior potencial de agravamento é em crianças e pessoas com patologia de base como hipertensão e diabetes”, explicou Marcela.

Fonte/foto: Assessoria PMB


Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Top