Você está aqui
Home > Saúde > MS TEM MÉDIA DE 4 MORTES POR DIA PELO CORONAVÍRUS DESDE O INÍCIO DA PANDEMIA

MS TEM MÉDIA DE 4 MORTES POR DIA PELO CORONAVÍRUS DESDE O INÍCIO DA PANDEMIA

Desde o início da pandemia em Mato Grosso do Sul até o fim da manhã desta quarta-feira (12), 558 moradores perderam a vida para o novo coronavírus. Em média, são 4 sul-mato-grossenses que morrem vítimas da doença por dia no Estado.

Os números assustam principalmente se relacionarmos com a velocidade com que o vírus vem ceifando vidas nas últimas semanas, quando o Estado vem ocupando posição de destaque no ranking de alta contaminação e morte pela doença no Brasil.

Apesar da pandemia ter chegado ao Estado nas primeiras semanas de março com casos suspeitos, inclusive ocasionando em fechamento do comércio de Campo Grande a partir do dia 21 de março, a primeira morte só foi registrada em Mato Grosso do Sul no dia 31 de março.

Eleuzi Nascimento, de 64 anos e moradora de Batayporã morreu em Dourados, distante 225 quilômetros de Campo Grande. Ela foi contaminada após ter contatos com parentes que viajaram à Bélgica. Àquela época, os casos no exterior explodiam, com surto que causou isolamento total na Itália e em outros países do continente.

A evolução na quantidade dos casos que culminaram em morte foi lenta no Estado no início da pandemia. A 10ª morte causada pelo coronavírus por aqui foi registrada no dia 3 de maio, mais de 30 dias após o primeiro registro.

Até então, era comum que os boletins diários da doença passassem alguns dias sem trazer novos óbitos pelo Covid-19, apesar do aumento de casos confirmados da doença.

O aumento dos casos, contudo, teve tração a partir de junho e a partir do mês passado, em julho, passou a ser quase que constante o status de “taxa alta” nos números de contaminação e mortes da doença no Estado, se comparado a outras unidades da federação.

Até o início da tarde desta quarta-feira (12), 558 pessoas perderam a vida após complicações da doença, uma média de 4,1 vidas perdidas por dia.


Fonte: Midiamax

Foto: Agência Brasil

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Top