Você está aqui
Home > Cotidiano > EUA: CORTE DE APELAÇÕES DOS EUA MANTÉM CONDENAÇÃO DE ‘EL CHAPO’

EUA: CORTE DE APELAÇÕES DOS EUA MANTÉM CONDENAÇÃO DE ‘EL CHAPO’

Ex-líder do cartel de Sinaloa, no México, foi condenado em 2019 à prisão perpétua por dezenas de crimes na Justiça norte-americana

Um Tribunal de Apelações dos Estados Unidos confirmou, nesta terça-feira (25), a sentença de prisão perpétua do traficante mexicano Joaquín “El Chapo” Guzmán, condenado em julho de 2019 por tráfico de drogas e lavagem de dinheiro, entre outras acusações.

Diante do recurso interposto pela defesa de El Chapo para anular o julgamento, o Tribunal de Apelação concluiu que “o juiz Brian Cogan (instrutor do caso) conduziu um julgamento diligente e justo de três meses”.

Por essas razões, a decisão resultante é afirmativa”, diz a decisão do juiz Jon O. Newman, do segundo circuito do Tribunal de Apelações do Brooklyn.

Um dia depois de conhecida a sentença, a defesa recorreu para solicitar um novo julgamento, alegando que o de 2019 foi obscurecido “pelo excesso desenfreado e pelo excesso de poderes tanto do governo quanto do sistema judiciário”. Nenhuma das 10 denúncias apresentadas pela defesa de um dos maiores traficantes de drogas da história do México tem “fundamentos” para revisar a decisão proferida pelo juiz Gogan, disse Newman.

A defesa baseou seu pedido no fato de um dos jurados, falando sob condição de anonimato, ter dito ao site de notícias Vice que ele e outros haviam se informado sobre o caso na imprensa e nas redes sociais durante o processo, algo que era proibido.Da mesma forma, argumentou que o isolamento total de Chapo desde sua extradição para os Estados Unidos em janeiro de 2017 o impediu de colaborar em sua defesa antes e durante o julgamento.

Em 18 de julho de 2019, no tribunal federal do Brooklyn, El Chapo foi considerado culpado dos 10 crimes de tráfico de drogas, lavagem de dinheiro e uso de armas de fogo dos quais era acusado. O tribunal o condenou à prisão perpétua.

Detido na prisão de segurança máxima ADX Florence, localizada no deserto montanhoso do Colorado, o governo dos EUA o acusa de ter introduzido no país durante um quarto de século 1,44 toneladas de pasta de cocaína, 222 kg de heroína, quase 50 toneladas de maconha e “quantidades” de metanfetamina.

 

 

Fonte: Portal r7

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Top