Você está aqui
Home > Esporte > SEM RECEITAS, CORINTHIANS ESPERA TER CARÊNCIA NO PAGAMENTO DE FINANCIAMENTO DA ARENA

SEM RECEITAS, CORINTHIANS ESPERA TER CARÊNCIA NO PAGAMENTO DE FINANCIAMENTO DA ARENA

Sem poder contar com receitas de bilheteria, eventos e outros serviços na Arena, o Corinthians espera receber uma carência da Caixa Econômica Federal no pagamento do financiamento do estádio.

Isso será colocado em pauta pelo Corinthians nas negociações com o banco. Desde o fim do ano passado, o clube discute com a Caixa um novo modelo no pagamento do financiamento da obra. Como mostrou o GloboEsporte.com, há um acordo alinhado para adiar o prazo de quitação da dívida de 2028 para 2032. Por conta da paralisação dos campeonatos para evitar a propagação da COVID-19, esse período pode ser estendido.

Por enquanto, o cenário ainda é incerto. Dirigentes corintianos vêm acompanhando de perto as medidas adotadas pela Caixa e pelo BNDES neste cenário emergencial devido ao novo coronavírus, e confiam num acordo em breve.

Vale ressaltar que neste primeiro momento a suspensão das atividades na Arena não representa um grande problema para o Corinthians, já que os pagamentos à Caixa estão suspensos desde que o banco decidiu executar a dívida do clube, em setembro do ano passado.

Em fevereiro, a Justiça concedeu mais dois meses para que o clube e a Caixa cheguem a um acordo. O que vem emperrando as tratativas é o fato de o Timão se recusar a pagar uma multa de aproximadamente R$ 50 milhões que a estatal cobra.

Entenda o imbróglio

Ainda em 2018, o Corinthians acertou com a Caixa que pagaria apenas metade dos valores das parcelas do financiamento da Arena nos meses de novembro, dezembro, janeiro e fevereiro, em que a arrecadação do estádio é menor. Um novo contrato foi formulado, mas nunca assinado.

Em 2019, porém, mudou a direção do banco, com a troca do governo de Michel Temer para o de Jair Bolsonoro.

Mesmo sem o novo contrato ser assinado, o Corinthians passou a fazer pagamentos menores. A partir de março, o clube retomou os pagamentos pelo valor “cheio”, mas o banco utilizou esse dinheiro para amortizar os débitos anteriores. Por exemplo: metade do pagamento de março foi usado para completar o pagamento de dezembro.

Além disso, nos meses de junho e julho, em que a Arena recebeu partidas da Copa América, as parcelas não foram pagas. Assim, no entendimento do banco, há seis parcelas em aberto.

Nas contas do Corinthians, com juros e correção, a dívida com a Caixa é de R$ 487 milhões. Já de acordo com banco estatal, o montante supera R$ 520 milhões.

Vale lembrar que o financiamento contraído para a construção da Arena Corinthians foi de R$ 400 milhões.

Foto: Corinthians
Fonte: https://globoesporte.globo.com/futebol/times/corinthians/noticia/sem-receitas-corinthians-espera-ter-carencia-no-pagamento-de-financiamento-da-arena.ghtml

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Top